Acaert lança campanha pela reforma da Previdência do Estado e municípios

O Rádio e a TV defendem as mudanças. Esse é o mote da campanha em favor da reforma da previdência em Santa Catarina que a Associação Catarinense de Emissoras de Rádio e Televisão – ACAERT promove a partir desta segunda-feira (17). “Estado e municípios têm a missão e prazo para promoverem mudanças nos seus sistemas previdenciários com base na reforma aprovada no Congresso Nacional”, explicou o presidente da ACAERT, Silvano Silva. “E os gestores e os parlamentares precisam de apoio para aprovarem as reformas necessárias”.

As emissoras associadas de Rádio e Televisão estão veiculando peças da campanha chamando a atenção da sociedade para o comprometimento das despesas previdenciárias no caixa do Governo do Estado. Segundo o Iprev, o Executivo desembolsa mensalmente R$ 320 milhões, o que resultou num déficit de R$ 4 bilhões no final de 2019.

Isso significa que o Estado gasta mais com a previdência que o total investido em Educação, Saúde e Segurança Pública.
“Precisamos mudar essa realidade. Por isso, apoiamos um debate sem corporativismo. É preciso corrigir privilégios e promover a necessária equiparação dos direitos da imensa massa trabalhadora brasileira”, defendeu Silvano Silva. A campanha terá também peças para as redes sociais e artigo explicando o posicionamento da ACAERT e de suas emissoras associadas.

FEDERAL – No ano passado, a entidade já havia se posicionado em favor da reforma da previdência no Congresso Nacional. A ACAERT promoveu ações durante tramitação do projeto na Câmara dos Deputados e depois no Senado Federal. Na ocasião, a campanha destacou que “o país precisa de uma reforma ampla, que elimine privilégios de vários setores. O sacrifício é de todos. Precisamos promover a igualdade entre os regimes dos trabalhadores da iniciativa privada e dos servidores públicos”, dizia trecho do editorial.

Durante meses, as emissoras associadas à ACAERT veicularam, em seus intervalos comerciais, peças que destacavam a importância das transformações necessárias para o Brasil, além de ação e envolvimento editorial.



MAIS NOTÍCIAS
COMENTÁRIOS
Carregando...
×