BAIXAR APP's

Custos de produção para suínos e aves de corte encerram 2023 com queda de 23%

O ano de 2023 terminou com o custo de produção por quilo de suíno vivo chegando aos R$ 6,20 segundo os estudos registrados pela Embrapa Suínos e Aves em sua Central de Inteligência de Aves e Suínos (CIAS). Já para frangos de corte, o ano encerrou com o custo de produção calculado em R$ 4,41 para o quilo vivo. Apesar de os ICPSuíno e ICPFrango registrarem altas desde outubro (chegando, respectivamente, a 354,90 e 341,39 pontos), os custos de produção baixaram no acumulado dos 12 meses do ano passado.

Os de suínos caíram 23,16% em 2023. Já os de frangos de corte diminuíram 20,33%. É preciso destacar que a mudança nos coeficientes técnicos realizada em janeiro de 2023 foi responsável por uma redução de 16,2 pontos percentuais no ICPSuíno e por uma redução de 7,1 pontos percentuais no ICPFrango, enquanto que os preços respondem pelo restante da variação acumulada no ano.

Em dezembro, o aumento do ICPSuíno foi influenciado pelo custo da alimentação dos animais, que teve alta de 1,61% e um peso de 74,83% na composição do custo total. Com isto, o custo total de produção por quilo de suíno vivo produzido em sistema tipo ciclo completo em Santa Catarina em dezembro chegou a R$ 6,20, um aumento de R$ 0,08 por quilo vivo relação a novembro.

O aumento do ICPFrango em dezembro foi provocado basicamente pela variação de 1,65% com a alimentação das aves, uma vez que este item de custo tem um peso de 67,83% na composição do custo total da produção, e na aquisição dos pintos de um dia (+2,44% e peso de 14,97%). O custo de produção do quilo do frango de corte vivo no Paraná produzido em aviário tipo climatizado em pressão positiva em dezembro foi de R$ 4,41, o que representa R$ 0,06 a mais em comparação a novembro.

Os estados de Santa Catarina e Paraná são usados como referência nos cálculos da CIAS por serem os maiores produtores nacionais de suínos e de frangos de corte, respectivamente. Os custos de produção são uma referência para o setor produtivo. Entretanto, suinocultores independentes e avicultores sob contratos de integração devem acompanhar a evolução dos seus próprios custos de produção.

Por Embrapa.

Últimas Notícias