Secretaria da Saúde de SC faz apelo e sugere pacto três dias depois do novo decreto

Uma ação de conscientização integrada entre empresários e a população. É um dos pedidos do superintendente de Vigilância em Saúde de Santa Catarina, Eduardo Macário, que aliás usou boa parte do tempo da entrevista ao CBN Hub desta segunda-feira (3) para fazer um apelo: — Os próprios frequentadores estão resistentes. Não aceitam que as equipes de fiscalização façam um trabalho para a proteção deles. Na sexta-feira (30), o governo do Estado publicou um novo decreto retomando atividades impactadas há mais de um ano, como o setor de eventos.

Também autorizou o funcionamento de casas noturnas e de shows, sem aglomeração, e flexibilizou em uma hora o funcionamento de bares e restaurantes. Nós adaptamos portarias antigas, que perderam a validade por causa dos últimos decretos, ao atual momento. As portarias fazem essa organização das atividades. E deixamos o decreto atuar onde elas não chegam — explicou o superintendente. As novas medidas foram anunciadas um dia antes do novo mapa de risco confirmar uma piora na pandemia em SC. O próprio superintendente admite que o momento é delicado.

 

— Temos 19 mil casos ativos. E o risco de transmissão nos ambientes é muito grande. As pessoas precisam entender isso, usar máscaras e manter o distanciamento até que a gente tenha pelo menos 60% da população vacinada. Aí podemos começar a pensar em relaxar um pouco. Tenham empatia. Não dá para ficar se expondo. Expondo amigos, familiares, vizinhos. Essas pessoas podem ser as próximas a ficar em um fila de UTI – completou Macário.

 

Com informações da NSC Total

MAIS NOTÍCIAS
COMENTÁRIOS
Carregando...
×