SC registra 7 casos de H3N2, diz Dive

Santa Catarina registrou sete casos de Influenza A H3N2, entre final de novembro e início de dezembro, confirmou a Diretoria de Vigilância Epidemiológica do estado (Dive) nesta quinta-feira (16). Não foram divulgadas as cidades dos pacientes. Os casos são estudados para saber se a gripe foi causada pela variante Darwin, encontrada em locais como Rio de Janeiro e São Paulo, que tiveram surtos da doença.

Além desses dois estados, a Bahia também enfrenta casos de Influenza H3N2. Na quarta (15), registrou a primeira morte.

Em Santa Catarina, a Dive afirmou que uma comunicação aos municípios será divulgada nos próximos dias sobre a doença.

De janeiro até esta quinta-feira (16), o estado registrou outros três casos de Influenza: dois de Influenza B e um caso de Influenza A, mas causada por vírus H1N1. Não houve nenhum óbito causado por Influenza em 2021 em Santa Catarina.

Apesar de a Dive não ter divulgado em quais cidades houve os casos da H3N2, os principais municípios do estado afirmaram não ter registro da doença. Confira abaixo o que disse cada prefeitura.

Florianópolis

A Secretaria de Saúde do município informou que nenhum caso foi registrado até o momento, mas que a situação está sendo monitorada. O município não tem mais vacina contra a gripe e vai aguardar orientação do Ministério da Saúde.

Joinville

Joinville também não teve nenhum caso suspeito ou confirmado de Influenza A (H3N2) ou variante Darwin. A assessoria de imprensa informou que o município é considerado pelo Estado sentinela para a identificação da doença. Por isso, faz a coleta de cinco amostras semanalmente em pacientes que chegam com sintomas gripais em uma unidade de pronto-atendimento (UPA Leste).

Sobre a vacinação, o município informou que ainda há doses disponíveis para quem quiser receber o imunizante. Joinville informou ter vacinado contra a influenza 62,7% do público-alvo (122 mil doses aplicadas, mais 47 mil para pessoas de fora do público-alvo).

Blumenau

A cidade não registrou nenhum caso de H3N2 neste ano. O município informou que a cobertura vacinal em 2021 foi de 75,4%. Com isso, não haverá nenhuma camánha local além de ações nacionais já previstas para o incentivo à vacinação contra a gripe.

Chapecó

A prefeitura informou que não tem casos confirmados de H3N2. Uma unidade sentinela faz coletas semanais, e é ofertada vacina para quem comparece nas unidades de saúde, escolas e também no Vacimóvel.

Criciúma

O município informou que não conseguiu levantar os dados porque estava com o sistema fora do ar, em razão da instabilidade na plataforma do SUS. A cidade terá no próximo sábado (18) um mutirão de vacinação contra Covid-19 e contra Influenza, das 8h às 17h, na Praça Nereu Ramos, no Centro.

Lages

A prefeitura de Lages informou apenas não ter nenhum caso de Influenza A H3N2 registrado.

Créditos: G1 SC e NSC

Share on facebook
Share on linkedin
Share on email
Share on twitter
Share on whatsapp

Últimas Notícias

×