Extensionistas da BRF reforçam no campo os compromissos de sustentabilidade da companhia

A BRF, uma das maiores companhias de alimentos do mundo, conta com a participação de seus quase 10 mil produtores integrados para ser uma empresa cada vez mais sustentável. Para disseminar entre eles as melhores práticas de sustentabilidade ambiental, social e econômica, um grupo de colaboradores tem especial importância: os extensionistas BRF.

Os mais de 800 extensionistas da BRF estão alinhados com o Plano de Sustentabilidade da Companhia e levam às granjas, há anos, metodologias e técnicas para ampliar a agenda sustentável em toda a cadeia produtiva. Em 2021, esse desafio se tornou ainda maior com o compromisso da BRF em ser Net Zero até 2040, o que representa reduzir as emissões de gases de efeito estufa (GE) e neutralizar as emissões residuais em todas as etapas de produção.

Em setembro de 2020, os produtores integrados da Companhia já haviam recebido o Manual de Práticas Seguras para Granjas de Aves e Suínos na Agropecuária. O documento reforça o compromisso com a segurança nas operações dos integrados e busca consolidar os propósitos de sustentabilidade da Companhia. Desta forma, a BRF estimula que todos os seus parceiros tenham sempre atitudes e comportamentos de prevenção e sustentáveis em todas suas atividades.

“São nossos extensionistas que conversam com os integrados sobre a sustentabilidade de suas atividades, atualizando as informações em torno do tema”, destaca o diretor corporativo de Agropecuária da BRF, Guilherme Brandt. “Ter um time de extensionistas com visão de sustentabilidade, que veja os nossos parceiros integrados produtivos e rentáveis daqui a cinco, 10 ou 20 anos, é um dos grandes objetivos da Companhia. Esta simbiose é o nosso caminho para a longa vida que desejamos para o negócio de todos”, reforça o executivo.

Contato direto com as granjas é fundamental

Um dos papéis da Extensão Rural é auxiliar e agir em conjunto na busca dos três pilares da sustentabilidade – ambiental, social e econômico. Uma ferramenta importante para a gestão desta cadeia, e que engloba todos os produtores, é o Questionário de Sustentabilidade aplicado anualmente nas granjas. Neste mapeamento, algumas ações são firmadas e monitoradas para mitigação de possíveis impactos decorrentes da produção nas granjas. Outro ponto importante é o destino correto de todo material gerado na produção. O recolhimento seletivo de frascos, embalagens, roupas e propés descartáveis usados na rotina da propriedade é destinado a empresas especializadas em processos de reciclagem.

“Preservar o meio ambiente e ser ecoeficiente são ambições do nosso Plano de Sustentabilidade, que viabilizamos por meio dos nossos compromissos”, afirma Mariana Modesto, diretora de Sustentabilidade da BRF. “Nossas metas públicas de sustentabilidade reforçam o comprometimento com a agenda ESG em prol do impacto positivo sobre o meio ambiente, na nossa cadeia produtiva e pela sociedade”, reforça Mariana.

Troca de experiências e apoio técnico diário

Um dos produtores integrados pioneiros na instalação de painéis solares, com granja localizada na Linha Barra do Tigre, interior de Concórdia (SC), Jarbas Salvin elogia o trabalho dos extensionistas. Salvin produz 1,3 milhão de aves por ano em quatro aviários.

“Os técnicos, sempre a campo, levam importantes informações sobre energias renováveis, como as placas de energia solar, e sobre as possibilidades de armazenamento de água.  Estão sempre de olho nos nossos plantéis e preparados para as melhores tomadas de decisão em relação ao conforto e bem-estar dos animais. Eles nos orientam sempre sobre a correta separação do lixo e o destino dos resíduos de aves ou suínos”, relata Salvin.

Também em Concórdia, na Linha Tiradentes, a produtora integrada Ana Gessika Fontes da Silva Salla afirma que a equipe técnica da BRF trabalha sempre com foco na melhoria dos resultados zootécnicos, na biosseguridade e para garantir o cumprimento das normas ambientais e de licenciamento. A família de Ana Gessika atua como integrada desde 1982.

Busca por conhecimentos em diferentes fontes

Na região de Marau, no norte do Rio Grande do Sul, Roney Andreolla de Rocco é um exemplo de extensionista que busca em diferentes canais, dentro e fora da empresa, saber mais sobre o ESG e como orientar melhor os produtores integrados. O extensionista, que voltou a atuar na equipe da BRF neste ano, após dez anos afastado, conta que desde o primeiro treinamento que teve no reingresso o conceito de ESG é reforçado para que seja adequadamente levado ao produtor.

“Essa preocupação é bem mais antiga do que a sigla, como quando ajudamos o produtor a tratar adequadamente os dejetos. Por volta de 2018, veio o mercado de créditos de carbono. E a sigla ESG, mais recentemente, veio reforçar ações. Tenho buscado na Internet, em webinars, lendo conteúdos e entrevistas me aprofundar e levar mais informações ao campo também”, conta Rocco.

 

Créditos: Assessoria BRF

Share on facebook
Share on linkedin
Share on email
Share on twitter
Share on whatsapp

Últimas Notícias

×