--:--
--:--
  • cover
    Rádio Fraiburgo 95.1

BAIXAR APP's

Estudantes de Caçador acompanham júri popular de olho em eventual futuro profissional

A sessão do Tribunal do Júri da comarca de Caçador, no Meio-Oeste, nesta quarta (3/7), registrou um público diferente na plateia. Os trabalhos foram acompanhados pelos olhos e ouvidos atentos dos alunos do 3º ano do Colégio Aplicação. A atividade serviu para auxiliar os jovens no processo de escolha profissional, além de demonstrar a importância da participação da sociedade em julgamentos populares.

A instituição tem um projeto com os alunos do 3º ano do ensino médio sobre orientação profissional, que é mediado pelo educador social Stefano Marlon Thissen. E em um dos encontros, ao conversarem sobre as profissões de interesse dos alunos, surgiu essa ideia de participar de um júri popular.

A direção do Foro mediou com a Vara Criminal a participação dos alunos. “A intenção foi de que tivessem a experiência prática que pudesse auxiliar no processo de escolha profissional”, explica a professora Diane de Moura Lunardelli.

Da manhã até o início da tarde eles puderam acompanhar todo o ritual do júri, com o sorteio dos jurados, participação de testemunhas, interrogatório do réu, debate entre acusação e defesa e a coordenação dos trabalhos pela magistrada presidente.

“Os alunos se sentiram muito acolhidos e nos relatam que gostaram muito da oportunidade, pois puderam observar questões como a oratória, postura profissional, a organização do processo do júri em si, a exposição de pontos de vista diversos sobre a mesma situação e, principalmente, a responsabilidade social no processo da aplicabilidade da lei”, ressalta a professora.

Para a juíza Rafaela Volpato Viaro, que presidiu os trabalhos, esse tipo de atividade aproxima os jovens do Judiciário e apresenta a eles um universo de possibilidades. “Esta é uma fase de muitas dúvidas, e conhecer o maior número de opções profissionais possível é fundamental para uma escolha que seja próxima do ideal para cada perfil”, destaca a magistrada.

Para que uma sessão ocorra, diferentes profissionais são envolvidos, desde aqueles que atuam diretamente na área do direito, forças de segurança e tecnologia, até os que cuidam da parte administrativa. “Que esta experiência no Judiciário tenha sido positiva e possa contribuir com o futuro dos jovens”, deseja a juíza.

Representantes do Colégio da Aplicação disseram ficar extremamente agradecidos pela acolhida, assim como pela disponibilidade da magistrada e de todos os funcionários que fizeram parte do corpo de júri.

NCI/TJSC

Últimas Notícias