Desacerto entre Arteris e construtora interrompe obras do Contorno Viário em SC

Parte das obras do Contorno Viário, na Grande Florianópolis, está interrompida. Isso porque uma das construtoras atuantes na obra dos trechos intermediário e norte decidiu suspender sua operação depois de alguns impasses com a concessionária responsável, a Arteris Litoral Sul.

A CCInfra (Camargo Corrêa Infra) ainda estabeleceu com a concessionária um prazo de 30 dias para o processo de desmobilização.

Responsável por praticamente 90% do traçado, a Camargo Corrêa Infra deu início a desmobilização das equipes que estão atuando nos trechos intermediário e norte do traçado, em contrato celebrado em junho de 2019.

Um outro contrato, assinado em janeiro de 2021 e que diz respeito a construção de dois túneis duplos e um total de 11,4 km de estrada, até o momento segue em vigor.

Falta de renovação de contrato

O novo capítulo envolvendo a famigerada obra do Contorno Viário nasceu, basicamente, da não renovação do contrato entre a concessionária responsável e a construtora CCInfra.

Por trás da não renovação está a burocracia imposta pela Arteris Litoral Sul, bem como uma série de imposições que, desde o início, jamais foi muito bem “engolida” por parte da Camargo Corrêa.

Pelos corredores da construtora, conforme apurado pela reportagem, a posição “linha dura” e “pouco maleável” por parte da Arteris nunca foi bem recebida.

Uma fonte que pediu para não ser identificada, certa vez, revelou que a concessionária sequer permite que os funcionários construtoras falem sobre a obra publicamente. Sugere, ainda, que evitem comentar em suas esferas particulares.

A informação, entretanto, nunca foi confirmada tanto pela Arteris, quanto pela Camargo Corrêa que sempre se limitou a descrever a relação como “difícil”.

“Parece que o nosso cliente [Arteris] não tem interesse que obra termine”, acrescentou.

“Fomos pegos de surpresa”

Segundo um funcionário da CCInfra que igualmente pediu para não ser identificado e está há pouco mais de um ano e meio trabalhando na obra, a maioria dos colaboradores foi “pego de surpresa” ao chegar para trabalhar na última segunda-feira.

“Chegamos para trabalhar, batemos o cartão e logo em seguida veio a lista que estava sendo desligada da empresa. Sem justificativa, sem explicação, orientaram para devolver o crachá”, revelou, em um misto de incredulidade com indignação.

O funcionário ainda convoca “a todos” para que passem no trecho Norte da obra e constatem que os maquinários e os trabalhos estão parados, haja vista que o canteiro é aberto.

Ele ainda prevê que a outra parte da empresa, que atua na construção da parte Sul do Contorno Viário, siga “pelo mesmo caminho” e interrompa as atividades diante do término do vínculo “a qualquer momento”.

Outra construtora segue com sua atuação

Uma outra construtora, responsável por 2,25 km de rodovia, além de outros dois túneis, segue com seu trabalho normalmente. A outra empresa faz parte do Grupo Aterpa/JDantas.

Arteris garante manutenção as obras

Em nota oficial encaminhada na noite desta terça-feira (21), a Arteris Litoral Sul confirmou o término do vínculo “após tratativas entre as partes”.

A concessionária reforça ainda que “uma nova empresa irá assumir a execução das obras dos trechos norte e intermediário, sem interrupção na prestação dos serviços nem mesmo impacto ao prazo final das obras“.

Na mesma nota a Arteris Litoral Sul ainda esclarece que a CCInfra “continua com a construção dos túneis 2 e 3” da obra, bem como “no tronco da futura rodovia no trecho Sul e nas obras dos trevos de interesecção do Contorno Viário com a BR-282 e BR-101 Sul”.

Confira a nota na íntegra

A Arteris Litoral Sul esclarece que a desmobilização dos colaboradores da Camargo Corrêa Infra nos Trechos Norte e Intermediário do Contorno Viário da Grande Florianópolis foi iniciada após tratativas entre as partes, onde a Camargo Corrêa Infra continua com a construção dos Túneis 2 e 3 do Contorno, assim como no tronco da futura rodovia no trecho Sul e nas obras dos trevos de interseção do Contorno Viário com a BR-282 e com a BR-101 Sul.

A Arteris Litoral Sul reforça que uma nova empresa irá assumir a execução das obras dos trechos norte e intermediário, sem interrupção na prestação dos serviços nem mesmo impacto ao prazo final das obras. A Concessionária reitera que o Contorno Viário de Florianópolis é um corredor expresso, projetado para desviar o tráfego de longa distância da Região Metropolitana, e a sua liberação só irá ocorrer após a conclusão total da obra, programada para dezembro de 2023, conforme acordado com a ANTT.

A Arteris Litoral reafirma o seu compromisso com as obras do Contorno Viário da Grande Florianópolis e trabalha para concluir essa que é a maior obra rodoviária em andamento no Brasil.

Histórico de arrasto

Considerado uma das maiores obras de infraestrutura do País – atualmente a maior, segundo o próprio ministro da Infraestrutura Tarcísio Gomes Freitas, o Contorno Viário apresenta histórico conturbado.

Com promessa inicial de entrega para o ano de 2012, quase uma década de impasses e alterações apresenta um atraso que deve, segundo o último cronograma divulgado pela empresa, ser concluído em dezembro de 2023.

Há pouco mais de duas semanas, um relatório divulgado pelo senador Espiridião Amin (PP) expôs alguns pontos de atraso em relação ao último prazo projetado.

O Contorno Viário será um corredor expresso com 50km de extensão em pista dupla, que vai permitir que o tráfego de longa distância não precise cruzar áreas urbanas da região metropolitana da capital catarinense.

 

Créditos: ND Mais (DIOGO DE SOUZA E LORENZO DORNELLES, FLORIANÓPOLIS)

Share on facebook
Share on linkedin
Share on email
Share on twitter
Share on whatsapp

Últimas Notícias

×