Layout Natal 2023

BAIXAR APP's

FELIZ NATAL 2023
NATAL 2023

Irani Ventures acelera startup que produz embalagens sustentáveis e outros produtos à base de fungos

A Irani Ventures, veículo de Corporate Venture Capital da Irani, uma das principais indústrias de papéis e embalagens sustentáveis do Brasil, anuncia mais um aporte a startups, agora com um investimento de R$ 900 mil na paranaense Mush. A iniciativa escolhida desenvolve produtos ecológicos e biodegradáveis à base de fungos oriundos de resíduos agrícolas e vegetais.

 

Com a nova investida, a Irani acelera o trabalho de mais uma startup que explora insumos alternativos na produção de embalagens. Em agosto, a companhia realizou um aporte de R$ 1,4 milhão na growPack – que produz embalagens a partir da palha de milho -, e agora conta com mais uma iniciativa de desenvolvimento de novas matérias primas alinhado à sustentabilidade.

 

“Enquanto indústria, queremos, cada vez mais, apoiar iniciativas inovadoras que tenham uma forte preocupação com o meio ambiente. Temos o desenvolvimento sustentável como pilar do negócio na Irani, então as investidas precisam estar alinhadas com a nossa tese. Acreditamos que essa preocupação se reflete no desenvolvimento do ecossistema como um todo, por isso o trabalho da Mush nos encantou tanto”, diz Fabiano Alves Oliveira, diretor de Pessoas, Estratégia e Gestão da Irani.

 

A partir de resíduos orgânicos, a tecnologia desenvolvida pela Mush faz com que seja possível controlar o processo natural de crescimento do micélio (parte vegetativa dos fungos composta por uma rede de fibras finas, semelhantes a raízes). Assim, o aglomerado de hifas (filamentos do fungo) se desenvolve como uma espécie de rede, agindo como cola e unindo resíduos uns nos outros, formando um material único, sólido e bastante resistente.

 

Atualmente, a startup utiliza essa técnica para produzir materiais 100% orgânicos e biodegradáveis em condições domésticas, o que gera um impacto ambiental muito positivo. Seu catálogo inclui embalagens, mobiliários e itens de decoração, design, moda e construção civil.

 

Para Paulo Beck, Head de Investimentos da Grow+, gestores do Irani Ventures, essa é uma aposta com enormes chances de escala. “Quando estávamos selecionando startups para receber investimento da Irani Ventures, procurávamos uma empresa com tecnologia de ponta, capaz de transformar resíduos em matéria-prima e que suas soluções estivessem aderentes à nossa tese de novas embalagens. Encontramos na Mush muito mais do que uma empresa de transformação de resíduos: é uma empresa com processo inovador, tecnologia patenteada e pesquisadores suportados pelo CNPQ, que lhes permite manter um time robusto e multidisciplinar de pesquisa científica”, ressalta o executivo.

 

“Nossas embalagens, assim com outros itens do catálogo, são totalmente sustentáveis e atendem ao anseio do consumidor em gerar menos lixo. E, além de embalagens, percebemos que essa matéria-prima pode ter muitas aplicações, com pesquisas que este novo aporte realizado pela Irani Ventures irá ajudar a acelerar”, explica Sydney.

 

Em 2022, a Irani Ventures anunciou o seu primeiro aporte financeiro, investindo R$ 1,5 milhão na Trashin, startup de impacto criada em 2018. Com sede em Porto Alegre, a iniciativa promove a economia circular através da gestão de resíduos e de programas de logística reversa. Em 2023, a segunda escolhida para o aporte foi a growPack, com R$ 1,4 milhão. A startup desenvolve tecnologias para produzir embalagens alimentícias sustentáveis utilizando resíduos reaproveitados de agricultura local, como a palha do milho.

 

 

Sobre a Irani

 

Fundada em 1941, a Irani Papel e Embalagem é hoje uma das líderes do setor de embalagens sustentáveis no Brasil. Controlada desde 1994 pelo Grupo Habitasul, tradicional grupo empresarial da região Sul do país, produz papéis para embalagens, chapas e caixas de papelão ondulado, além de resinas naturais de pinus, breu e terebintina, assegurando o fornecimento de produtos de matéria-prima renovável com alta qualidade. Alinhada às boas práticas da economia circular, tem produção integrada às florestas próprias e utiliza energia autogerada. Conta com unidades produtivas localizadas em Vargem Bonita (SC), Santa Luzia (MG), Indaiatuba (SP) e Balneário Pinhal (RS), além de responder pela gestão de florestas em Santa Catarina e Rio Grande do Sul. Com escritórios em Porto Alegre (RS) e Joaçaba (SC), tem em seus quadros mais de 2.300 colaboradores.

 

Sobre a Grow+

 

A Grow+ é uma consultoria de negócios que assessora empresas, startups e investidores. Nos últimos anos, tem ajudado médias e grandes empresas a estruturar seus próprios fundos de investimento (CVC) e transformar seus negócios corporativos em startups (CVB). Atualmente, é a gestora do veículo de investimento CVC Verdes 1 da Irani Venture.

 

Sobre a Mush

 

A Mush é uma startup paranaense fundada em 2019 por Eduardo Sydney, Leandro Oshiro e Antônio Carlos de Francisco, que desenvolve produtos ecológicos e biodegradáveis à base de fungos oriundos de resíduos agrícolas e vegetais. Atualmente exibe um catálogo que inclui embalagens, mobiliários e itens de decoração, design, moda e construção civil.

Foto: Eduardo Sydney (CEO), Leandro Oshiro (CPO) e Antônio De Francisco (CSO)

Últimas Notícias